Análise da Barraca Bivak 1 – T&R

Acampamento em Torres del Paine – Chile

Tenho a barraca Bivak 1 da Trilhas e Rumos há quatro anos. Nos acampamentos as pessoas se interessam, dão risada ou criticam. Sempre escuto comentários do tipo: “Como você dorme nesse sarcófago?”. Enfim, ela é polêmica! Nesse tempo todo em que venho utilizando esta barraca, passei por diversas situações e acampei em locais de geografia e clima bastante distintos. Antes de ir à Patagônia eu pedi para muitas pessoas através da internet o que achavam de levá-la para o trekking de Torres del Paine, o circuito W. Ninguém recomendou. Bom, eu como sou teimoso resolvi levá-la. A única coisa que fiz para ter mais garantia de que resistiria aos ventos fortíssimos que atingem a região, foi colocar mais duas alças para prender o spek. Uma na abertura frontal da barraca e outra na lateral. Pontos onde havia uma maior distância sem varetas e spek. A barraca se saiu super bem em Torres del Paine e também em El Chaltén. Lugares famosos por ventos fortíssimos e temperatura baixa. No acampamento em El Chaltén ventou muito durante uma noite inteira, fazendo muito frio, mas deu tudo certo. Pelo o que pesquisei, nunca alguém tinha acampado na Patagônia com esse modelo da barraca.

Acampamento no
Monte Roraima (2730m) – Venezuela

Em relação à chuva e tempestades, ela é confiável. A Bivak 1 tem uma boa aerodinâmica, é super leve e os materiais são de qualidade. Ela tem as costuras seladas, evitando entrada de água. Em tempestades, você percebe que quanto mais venta, mas ela assenta no chão. Outro ponto forte é que ela tem tela nas laterais, possibilitando a ventilação, e evitando condensação. Esses números de impermeabilização prefiro traduzir como sendo: ela suporta três dias de chuva sem parar. Após esse tempo começa a umedecer. 
Os pontos negativos são espaço interno e não poder armá-la sob lajes (não é auto-portante). Ela deveria ser mais alta também, que possibilitasse uma pessoa ficar sentada sem se curvar. Se precisar ficar horas dentro dela, se sentirá em uma prisão.
Como viajo com uma mochila de 75 l, sou obrigado a dormir sem conforto, apertado entre a parede da barraca e a mochila. Deixo a mochila ao lado dos pés, e não do tronco. Se procura conforto em um acampamento não opte por essa barraca.

Observação: É importante lembrar que esta é uma barraca que segue o conceito de bivaque. Não é uma barraca para ficar acampado vários dias, e sim para algumas noites. É um equipamento destinado aos minimalistas, que precisam de segurança e pouco peso. Pessoas que tem facilidade de se afastar de sua zona de conforto. Embora não recomende ficar muitos dias acampado com ela, já fiquei 7 noites acampado no Monte Roraima, sem grandes problemas.


Dados técnicos:

Peso: 1,750kg
Estrutura: Alumínio (os speks também são em alumínio)
Impermeabilização do piso: 4000 mm
Impermeabilização do teto: 2000 mm
Dimensões: altura 0.80, largura 0.90m e comprimento 2.45m 

Avaliação:

Impermeabilidade: ★★★☆☆
Peso: ★★★★★
Dimensões: ★★★☆☆
Conforto: ★★☆☆☆
Sistema de Ventilação: ★★★★★
Material: ★★★★☆
Preço: ★★★☆☆
blogger_blog:
www.mochilandosemfronteiras.com
blogger_author:
Glauco
blogger_permalink:
/2013/03/analise-da-barraca-bivak-1-t.html
blogger_internal:
/feeds/3390010519359174826/posts/default/4490886010669166867
custom_total_hits:
000000182

2 Comments

  1. Edver Carraro Reply

    Glauco,

    Review profissional! Testou a tenda em ambientes muito hostis e pelo visto, ela se saiu muito bem, embora seja nacional. Uma dica: use a mochila vazia como isolante térmico para a área das pernas.

    Bons ventos!

  2. Glauco Reply

    Olá Edver! Obrigado pelo comentário. A dica da mochila é boa, nunca havia pensado nisso. O problema no meu caso e tirar tudo da mochila e espalhar por essa minúscula barraca! haha

    Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *