Hiking Castelo dos Bugres – Santa Catarina

Dentro de um grupo criado no Facebook, para reunir o pessoal afim de fazer trilhas e outras aventuras do tipo, combinamos de ir para o Castelo dos Bugres. Resolvemos fazer essa trilha para abrir a temporada de montanhismo de 2013. Esse ano promete grandes aventuras nas montanhas do Sul do país.

Eu nunca tinha ido ao Castelo dos Bugres, que é uma trilha clássica na região norte de Santa Catarina. Localizado na Serra dona Francisca, próximo a Campo Alegre. Essa região é famosa por pessoas ficarem perdidas, algumas por até 4 dias! Isso se deve a quantidade de trilhas existentes na região. São três principais trilhas, a do Castelo dos Bugres, Morro Pelado e Pico Jurapê. Porém existe outras trilhas menos marcadas que é utilizada por caçadores.
Acordei as 05:00 da madrugada, e as 06:00 hrs nos reunimos num posto de combustível aqui em Jaraguá, para seguir até o início da trilha, em Joinville. Estávamos em 8 pessoas. Dessas, 6 fazem trilhas regularmente.
Chegando em Joinville pegamos uma leve garoa, típica da cidade. Deixamos os carros na borracharia que tem próxima a entrada da trilha e seguimos caminhando pela rodovia até o local onde realmente começa a trilha. A cerca de 900m, a temperatura estava amena. Alguns usavam casaco.
A trilha do Castelo dos Bugres é bem fácil. Acho que a mais fácil de todas da região. Qualquer pessoa por mais sedentária que for consegue fazê-la. Como choveu durante boa parte da semana, o solo estava bastante encharcado. Não demorou para estarmos com as botas camufladas pela lama. Quem estava de tênis já estava com os pés molhados. Nessa caminhada é comum passar por brumas em vários trechos. Como a vegetação é bastante densa e úmida, a umidade relativa do ar é elevada. A trilha não é muito íngreme, até mesmo porque a maior parte da altitude ganha é feito via rodovia, de carro. Há algo como dois pontos de água durante a trilha.
Ao chegar ao topo do Castelo dos Bugres, nos deparamos com o tempo bem fechado. Não tínhamos visão da paisagem. Aproveitamos para comer os lanches que havíamos trazido e nos hidratar. O tempo melhorou um pouco e resolvi subir a pedra maior do Castelo, usando uma corda que havia no local, de resistência duvidosa(!). Tirei as botas e comecei a subida. A corda tava velha, e rangia com meu peso. Meus pés estavam suando de nervosismo, medo de a corda arrebentar. Felizmente ela aguentou não só a minha subida, mas também a do Marciel, Daniel, Luciano e do Diogo. Lá de cima tiramos mais fotos e contemplamos o visual até onde podíamos enchegar. O tempo abriu um pouco, possibilitando ver a silhueta do Morro Pelado e do Pico Jurapê.
Descemos dessa pedra e fomos para a parte debaixo do “Castelo”. Bom, o Castelo dos Bugres tem esse nome por conta da posição das pedras desse de lugar. São grandes blocos de rocha empilhados um em cima de outro, formando caverna, fendas e portas. Parece um “Castelo” de rochas. Na parte debaixo passamos por uma fenda estreita, de não mais que 40 cm de largura. Também visitamos um “portal” e uma área coberta maior.
Uma pena ver que há pichações nas pedras. E ao redor do Castelo também há lixo. É aquela coisa, trilha de fácil acesso, vai qualquer um. Sem preocupação, sem consciência, sem repeito pelo meio ambiente.
O retorno até o carro levou uma hora. Voltamos sujos, mas satisfeitos com a trilha. Que apesar de bem curta, ainda assim valeu muito a pena. É uma boa trilha para quem está começando a gostar de caminhadas outdoor. Eu recomendo 😉
blogger_blog:
www.mochilandosemfronteiras.com
blogger_author:
Glauco
blogger_permalink:
/2013/03/castelo-dos-bugres.html
blogger_internal:
/feeds/3390010519359174826/posts/default/8741430331275465525
custom_total_hits:
000000143

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *