Mochilão América do Sul – Dia 21 – Expedição Salar de Uyuni – Bolívia

Cemitério de trens

Embora tenha ido dormir tarde, fui obrigado a acordar cedo para procurar um pacote de passeio pelo salar. Me despedi dos amigos chilenos e as 07:00 hs eu já estava entrando em agências e negociando preços. Inicialmente encontrava pacotes de três dias de passeio em um 4 x 4, por $900,00 e ainda mais $150,00 bol. que é o valor de entrada do parque. Eu tinha conversado com agências no inverno através da internet e o preço girava em torno de $450,00. Não entendi o porque dos valores terem duplicados. Minha grana já estava acabando e me vi numa situação não agradável.

Amigos chilenos

Os dois pontos altos que considerei antes de viajar seria conhecer Machu Picchu e o Salar de Uyuni (maior salar do mundo!). Eu não podia fazer simplesmente um passeio curto, então resolvi que faria o passeio completo, independentemente se teria posteriormente dinheiro para voltar ao Brasil.

Andei muito e encontrei uma agência que me ofereceu o pacote por $700,00 + $150,00 de taxa de entrada no parque. Disse que pesquisaria um pouco antes de confirmar. E que se eu não voltasse até as 09:00 hs a mulher deveria considerar que desisti. Sai procurando algo mais barato e realmente não encontrei. O problema que me perdi, e não encontrava mais a agência. Foi um sufoco conseguir voltar as 09:00 e pagar o passeio. Na agência já tinha mais alguns mochileiros. Quase todos argentinos. Havia duas argentinas que eram simplesmente lindas! Mas fariam o passeio de somente um dia. Havia outros mochileiros que eram quase hippies, além de um casal de estudantes.
Amigos argentinos

As 11:00 hs embarcamos na Toyota Land Cruiser. Estávamos inciando uma viagem de três dias atravessando desertos e passando por vários lagos e vulcões. A princípio estava só eu e o casal argentino no jipe, ela se chamava Carla e ele Martín. Logo depois paramos em um hotel e embarcou mais três pessoas. Três argentinos, duas mulheres e um cara.

Seguimos para uma feira que fica na entrada do salar. Lá encontrei diversos artesanatos e para minha surpresa, reencontrei a Ignez! Conheci a Ignez assim que cheguei no aeroporto de Santa Cruz de La Sierra, reecontrar ela no sul da Bolívia foi uma grande surpresa.
Reencontrei também os loucos chilenos! Óbvio que estavam bebendo de novo, já beem animados haha! Tiramos algumas fotos e nos despedimos. Prometi ir ao Chile para beber um bom pisco com eles.
De volta ao jipe, seguimos salar a dentro.
Exatamente como eu imaginava, fiquei estasiado com a paisagem! É muito interessante o que sentimos quando estamos realizando um sonho. Passei u ano inteiro vendo fotos do salar e me imaginando lá. No momento em que isso aconteceu eu não tinha palavras!
Desembarcamos do jipe. Tirei minhas botas e segui descalço pisando em cima do sal Havia poças de água que chegavam no tornozelo, muito muito fria a água.
A paisagem é de uma beleza rara e inexplicável. O céu azul forte e o branco do salar. Tiramos algumas fotos com o grupo e individuais.
Seguimos até o hotel de sal. Local onde há um monumento com bandeiras de viajantes de todos os países que passaram por lá. Enquanto nosso motorista preparava o almoço, caminhei sozinho tirando fotos e tentando absorver o máximo daquele lugar, os sons, as cores, o ar frio, as pontas do chão áspero na sola dos pés.
Nosso almoço foi saboroso. E fiquei contente por ter conseguido a mais barata agência e ainda com um ótimo serviço prestado.
Após almoçar voltamos para Uyuni, trocou de motorista. Seguimos então viagem para o deserto.
Dessa liberdade,
você ainda não provou!

A sensação de viajar pelos desertos é única. As paisagens mudam, a temperatura muda, alguns arbustos aqui e outros lá. Sem dar conta relaxamos deforma que acabamos fazendo parte daquele vazio.

Os argentinos eram todos muito divertidos. Conversávamos sobre tudo. E por ser o único brasileiro falava somente em espanhol. Pude perceber o quanto difícil é o espanhol argentino. Já não estava mais acostumado.
Como o pen drive o motorista tinha só umas 10 músicas que não paravam de repetir, pediram para escutar as músicas do meu pen drive. Sorte a minha, paisagens surreais ao som das músicas que eu gosto!
Após horas de estrada, chegamos a um vilarejo muito pequeno. Parecido com os dos filmes de faroeste. Um rua principal e tudo em volta extremamente empoeirado. Tudo tinha  mesma cor.
Ficamos em um albergue até que bem confortável. Todos os argentinos comentaram que essa era o piorlugar que eles estariam se hospedando desde que começaram a viajar. Pra mim estava uma maravilha. Perto dos perrengues que tinha passado e lugares que tinha dormido, ali era perfeito.
Esperamos até o final da tarde para tomar banho. Eu estava precisando mesmo! Estava já três dias sem, porque saí de Chiway, no sul do Peru e segui até Uyuni, o sul da Bolívia sem encontrar hostel com banheiro.
Bem, tomar banho as vezes é quase como mudar de vida! Foi ótimo. custou $10,00 bol.
Na janta comemos bem de novo, e ficamos batendo papo até tarde. Tomei uma cerveja antes de dormir.

Gastos do dia:

Passeio de 4×4 (pacote de três dias): $750,00 bol.
Água e guloseimas: $10,00 nol.
Banho: $10,00

blogger_blog:
www.mochilandosemfronteiras.com
blogger_author:
Glauco
blogger_permalink:
/2012/07/dia-21-salar-de-uyuni.html
blogger_internal:
/feeds/3390010519359174826/posts/default/5996670886661354524
geo_latitude:
-20.4603499
geo_longitude:
-66.824966
geo_public:
1
geo_address:
Uyuni, Bolivia
custom_total_hits:
000000147

2 Comments

  1. Anonymous Reply

    Oi Glauco,

    Seu blog é muito inspirador, admiro sua iniciativa em fazer todas essas viagens sozinho, superando as adversidades que vão aparecendo, sempre com bom humor e inteligência.
    Tenho pensando muito em experimentar esse estilo de vida que o treeking proporciona. Quem sabe um dia fazemos uma trilha juntos.
    Se sobrar um tempo de uma olhada no meu blog.
    http://www.ferreirabikerun.blogspot.com

    Estive no inicio desse ano com minha esposa no deserto do Atacama, um lugar que você com certeza ia gostar muito.(caso já não conheça). Vi muitos mochileiros por lá, dai surgiu esse meu interesse pelo trekking.
    Mas ainda tenho muito a trilhar, principalmente com relação ao tempo para uma aventura…mas quem sabe!

    Abraço

    Marcelo

  2. Glauco Reply

    Olá Marcelo! Muito obrigado por visitar o blog.
    Fico feliz por gostar das publicações que tenho postado aqui. Relatar as viagens é uma maneira de relembrar, matar a saudade e mostrar um pouco das experiências que tive, com os visitantes do blog. É lendo relatos que me inspiro para fazer as viagens. E espero que outros viajantes façam o mesmo ao ler o meu.
    Ainda não fui Para o Atacama do lado chileno, somente um pontinha ainda na Bolívia, a 40 km de San Pedro.

    Praticar trekking é muito bom. Larguei outros esportes depois que comecei a praticar, de tanto que gosto. Podemos fazer um junto um dia. Há muitos lugares que pretendo conhecer mas que ainda não fui por falta de companhia.

    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *