Hiking Morro do Boi, Corupá – Santa Catarina

O Morro do Boi é o que tem mais ascensões na cidade de Corupá – SC. Possui 890 m de altitude. Do cume é possível enxergar o mar (a 80 km de distância) e a Serra do Mar. Um grande destaque é que do Morro o Boi também podemos ver a cachoeira Bruaca, de 100 m de altura. Essa cachoeira é de dificílimo acesso e está em meus próximos planos encontrá-la.
Marcamos de nos encontrar na praça central de Corupá as 08:00 hs. O Luciano atrasou-se em 30 min!
Com as coordenadas marcadas no GPS, seguimos para o início da trilha. Eu ainda tinha um mapa extremamente preciso que dizia o seguinte: “após passar pelas casas, saia da rua e pegue o caminho à esquerda da goiabeira!”, só para rir mesmo!
Eu, Luciano, Joabe, Daniel e meu pai
A trilha inicia em um caminho aberto e de vegetação rasteira, em questão de minutos, chega-se a uma bifurcação, pegue a trilha da direita. Passamos por algumas lages de pedra, muito úmidas e escorregadias. Não recomendo fazer essa trilha sem botas de trekking, há risco de vira o pé. Quando chegamos à cachoeira, que serve de marco, como último ponto de água, o Joabe já estava todo molhado de suor e muito ofegante! Tínhamos caminhado apenas meia hora. Respiramos um pouco, bebemos água e voltamos a caminhar. A partir da cachoeira a trilha fica muito mais íngreme e fechada.  Percebendo que o Joabe estava cansado começamos a caminhar um pouco mais de vagar. Eu tinha ouvido falar que essa trilha levaria 3 hs, mas não teria problema se levássemos mais.
Joabe então parou e falou que iria desistir e que não estava bem. Estava pálido, tonto e suando demais. Falamos para ele que podíamos ir ao ritmo dele, e que era para se hidratar e esperar melhorar um pouco. Não tínhamos passado ainda pelas subidas mais inclinadas, mas tentamos convencê-lo a não desistir.
Seguimos caminhando devagar e parando para respirar periodicamente. Ele acabou encontrando seu ritmo e continuou a subir. Há algumas partes nessa trilha que deveria ter corda para ajudar a subida. Sem pedras, galhos ou raízes, em trechos com até 10 m de comprimento são muito escorregadios. Levei um belo tombo que fui parar fora da trilha, sorte que conseguiram me segurar pela alço da mochila. Chegando ao topo, passamos por alguns metros onde do lado direito é desfiladeiro. Achei que fosse muito perigosa essa parte, mas percebi que foi exagero das pessoas que me contaram. Há inclusive algumas pedras, sobre essa rampa que vai em direção a uma parede negativa. O Luciano e eu inclusive tiramos fotos sentados ali. Olhar para baixo e sentir os pés balançando com o vento sobre um vazio de 900 m é um prazer imenso.
Já valeu a caminhada
Chegamos ao cume as 11:00 hs. Sol estava forte e não há abrigo de árvores para se proteger. Um gramado torna o cume apto para acampar, tendo espaço para seguramente umas 4 barracas de duas pessoas. A visão lá de cima é linda, principalmente por conseguirmos enxergar muito verde de mata ciliar que segue sem interrupção de casas ou plantações rumo à Serra do Mar. O cume do Morro do Boi na verdade é o início de uma crista que se estende vários outros cumes. Entre eles, o Bela Vista (1200 m), que já escalaminhei três vezes. Decidi que voltarei ao Morro do boi, e tentarei atingir outros dois cumes seguindo essa crista, não será tarefa fácil. O fato de não haver trilha é realmente um empecilho. Ficamos conversando, comendo, e curtindo o visual por duas horas. Quando sentimos que estava realmente quente resolvemos partir.
Escalaminhada é isso!
A descida sem dúvida é mais rápida e exige menos fôlego. Porém os pés e joelho sofrem muito. Como no Morro do Boi a trilha segue praticamente sempre com a mesma inclinação, não há descanso para os joelhos, que chegam a ficar “bobos” e não segurar o peso do corpo às vezes. Todos, indiscriminadamente levaram um tombo na descida. Mas apenas uns escorregões sem nenhum machucado.
Pertinho da cachoeira nós erramos a trilha, seguimos reto. Na verdade uma grande quantidade de pedras desmoronou abrindo uma pequena clareira que parece uma trilha, por avegetação já estar se reestruturando acabou nos confundido. Subimos uns 30 m e reencontramos a trilha. Chegamos ao estacionamento uma hora e meia depois de ter iniciado a descida. Pernas cansadas, mas mente limpa, livre e tranqüila.
Recomendo a todos esse hiking no Morro do Boi. A trilha é livre de sujeira, não há lixo, a paisagem lá de cima é bonita, a trilha é fácil e não oferece perigo. É possível levar crianças desde que acompanhadas de adultos para manter o controle.
Obrigado aos amigos que aceitaram o convite e foram junto comigo: Luciano, Joabe, Daniel e meu pai!
Querem saber do próximo trekking? Hmmm será no pico mais alto do sul do Brasil, aguardem! 😉

blogger_blog:
www.mochilandosemfronteiras.com
blogger_author:
Glauco
blogger_permalink:
/2012/10/morro-do-boi-corupa.html
blogger_internal:
/feeds/3390010519359174826/posts/default/7978925104910024670
geo_latitude:
-26.4260533
geo_longitude:
-49.2433273
geo_public:
1
geo_address:
Corupá - SC, República Federativa do Brasil
custom_total_hits:
000000177

2 Comments

  1. Maneca Reply

    Muio legal!! Já estive aí em 1989 e nunca consegui esquecer a vista maravilhosa. Vou pedir umas dicas para repetir a dose com o Cassiba.
    Valeu Glauco, você me trouxe belas recordações de quando ia para Corupá todos os finais de semana de Litorina ou Trem. Abraços e continue com essa consciência Ecológica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *