Só inspirar, não basta! É preciso agir!

Hoje eu percebo que boa parte do que eu buscava nos blogs e em sites de viagens, agora forneço. Aos poucos fui me acostumando a receber comentários das pessoas agradecendo as postagens e inspiração para viagens e aventuras, algumas críticas também. Esses comentários vinham de pessoas das mais variadas idades. Talvez a que mais me surpreendeu, foi de um senhor que elogiou minha atitude em fazer a travessia pela linha férrea de São Bento do Sul até Corupá. No comentário, ele me disse que queria ter feito isso em 1950, mas as pessoas achavam perigoso e o desencorajavam.
Ele envelheceu sem ter feito. Ao saber que eu fiz essa travessia, numa sociedade considerada hoje ainda mais perigosa, ficou espantado e feliz. Senti alegria nas palavras dele, de saber que alguém fez sozinho e sem muito pensar, essa longa caminhada. As pessoas realmente se inspiram no blog, nas fotos e também nas histórias que conto nas rodas de amigos bebendo cerveja. Percebo que as pessoas ficam ansiosas em saber o que estou planejando, o que desejo fazer, qual o tamanho do desafio que estou disposto a enfrentar. Do mercadinho do bairro ao posto de combustível, passando pelo mecânico do carro. As pessoas querem estar informadas, e mais do que nunca escutar histórias dos perrengues. É bom saber que com meus erros e acertos, ando por aí inspirando pessoas. Por mais que a inspiração que elas dizem sentir, na prática quase não resulte em alguma mudança na rotina delas. Porque de modo geral, as pessoas continuam pensando que para fazer algo, você precisa antes ter todo um estereótipo, os rótulos de um viajante ou aventureiro. Ouvir as pessoas dizerem que precisam de um 4×4 ou uma moto big-trail para fazer ‘tal’ viagem, me causa uma angústia! As pessoas insistem em colocar empecilhos no caminho que pretendem seguir. Geralmente relacionados ao consumismo. Se prendem nas próprias armadilhas. Como já dizia o cantor e hippie Ventania: “Você está preso a um pé de alface!”, ou seja, você sabe que consegue se livrar, mas com desculpas continua ali, preso a ele.

Por outro lado, se as pessoas gostam de escutar eu falar das viagens, porque não gostam de ler livros sobre temas semelhantes? Eu não me inspiro em nenhum viajante/trekker que eu conheça pessoalmente. Mas sim nos grandes exploradores do mundo, na qual tive apenas contato literário. Através das dezenas de livros que li de navegações, escaladas e viagens bem ou mal sucedidas.  É preciso criar essa ponte entre a leitura de um blog e de livros.
Mas uma coisa é certa, é preciso parar de esperar. As pessoas estão sempre esperando algo que as faça evoluir. Estão sempre argumentando para tentar justificar a falta de atitude, que as mantém na inércia habitual. É por essas e outras, que não entendo o significado da palavra “parabéns” quando eu volto de viagem. Como assim parabéns?! Os momentos que tive viajando ou fazendo algum trekking já são mais que suficiente para me satisfazer. O que as pessoas querem que eu sinta ao dizerem parabéns? Cada vez que escuto um parabéns eu penso que a pessoa que está me falado isso, vive encubada na sua zona de conforto.
É preciso mudar hábitos para quebrar barreiras. Afaste-se da televisão. Não confie nesses seriados de sobrevivência. Tem gente que assiste todos esse documentários de sobrevivência e nem se quer tem coragem de andar descalço na brita! Uma boa parte do aprendizado vem da vivência, da sua experiência na prática. Nem cogite a hipótese de contratar uma agência para alguma viagem. Seja o responsável pelo caminho que pretende seguir. Esqueça essa de que é preciso ter todos os rótulos e elementos de um aventureiro para se aventurar! Desligue-se da sua rotina confortável enquanto viaja, a zona de conforto é insalubre, lhe mata aos poucos.
O que realmente me alegra, é saber que aquilo que eu lia nos blogs e sites que me inspiravam, surtiram efeito. E é isso que espero que aconteça com os leitores desse blog!
Eu consegui conquistar muito daquilo que admirava. A capacidade de traçar um rumo, e seguir. De não ter medo do vasto horizonte. E principalmente, por deixar para trás muitos preconceitos. Por isso, desde o início deste blog, teve aqueles desenhos abaixo da escrita “Mochilando Sem Fronteiras”. Porque eu simplesmente acho que se você quer chegar a algum lugar, vá do que puder ir! Caminhando, pedalando, de carona, de ônibus, avião ou barco? Que seja! Vá! A melhor mensagem que recebo é sempre das pessoas que leram, se inspiraram, tiraram dúvidas e, viajaram! Por isso que digo, só inspirar não basta, galera! É preciso viajar!
blogger_blog:
www.mochilandosemfronteiras.com
blogger_author:
Glauco
blogger_permalink:
/2013/09/so-inspirar-nao-basta-e-preciso-agir.html
blogger_internal:
/feeds/3390010519359174826/posts/default/6978302490667576148
custom_total_hits:
000000161

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *