Mochilão Brasil – 6º Dia – Rapel e flutuação no Abismo Anhumas – MS

Depois de uma noite mal dormida, ainda assim acordei cedo. Tinha agendado o rapel no Abismo Anhumas para as 10h00min. Conforme o recomendado pelos instrutores de rapel no dia anterior, tomei um café da manha bem reforçado. Pão, doces, barra de cerais e frutas. Também tomei bastante suco. As 10:00 eu e Suzanne pego o táxi para o abismo. Levamos cerca de 35min até lá. Eu tava bastante ansioso. Pois este seria o passeio mais radical, e talvez o de imagens mais impressionantes. Na base de descida do rapel, fomos equipados. Batemos algumas fotos antes de descer. O rapel é feito de duas em duas pessoas, dois turistas no caso. Um está atado ao outro. Eu e Suzanne descemos juntos. No início estava meio nervoso, no trecho do rapel positivo. Assim que passamos da fenda e iniciamos o rapel negativo fiquei sossegado. Levamos em torno de 4 min de descida. A vista era incrível, o deck flutuante, água verde cristalina, o feixe azul de luz que vinha buraco em cima do abismo e estalactites por todo teto. No deck coloquei o neoprene e iniciamos a flutuação. A água lá é um pouco gelada, algo em torno de 18ºC. Na flutuação as vezes temos a sensação de estar voando sobre montanhas. A água é incrivelmente cristalina, com visibilidade de mais de 30m. A flutuação levou 30min. A melhor parte foi quando uma nuvem cobriu a entrada de luz da caverna por uns instantes. Todos nós estávamos debaixo de onde a luz iria iluminar. Quando a nuvem passou um feixe muito forte azul penetrou na caverna. Esquentando-nos e criando aquele visual maravilhoso. A imagem mais marcante de toda a viajem. Após a flutuação fiquei observando o feixe e seus reflexos na água. A luz vinha do céu, penetrava na água da caverna, e refletia no teto do abismo. Já de roupa seca e de barriga cheia (comi mais duas barras de cereais), entramos num pequeno bote e começamos a contornar o lago. O guia explicava as formações da caverna, e também informações de como ela surgiu e que efeitos já tinham sofrido com os anos. Nesse passeio de bote vimos estalagmites, estalactites, cortinas, cones e outras formações impressionantes. A subida do abismo que foi um pouco desgastante. A corda estica bastante e rende pouco o esforço da subida. Levei 25 min para subir.
Com certeza foi o melhor passeio de Bonito. Cheguei no albergue extremamente feliz, impressionado com todas aqueles imagens surreais que tinha visto.




Foto: Arley
blogger_blog:
www.mochilandosemfronteiras.com
blogger_author:
Glauco
blogger_permalink:
/2009/12/6o-dia-abismo-anhumas.html
blogger_internal:
/feeds/3390010519359174826/posts/default/2066032594299616447
custom_total_hits:
000000212

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *